Search
  • Ricardo Pinho

Suplementação de TAURINA para a prática de exercícios

Updated: May 31


É bem provável que em algum momento você já viu alguma propaganda ou ouviu falar de que a suplementação de taurina melhora seu desempenho físico ou a sua saúde. Essa á uma informação verdadeira revelada por diversos estudos científicos, apesar de existirem mitos e exageros que são propagados sem evidências comprovadas e, portanto, é necessário ter cautela quanto ao seu uso. A taurina (ácido 2-aminoetanossulfônico) é um aminoácido (classificado como não-essencial) encontrado em abundância nos muitos tecidos do nosso corpo, principalmente os excitáveis como o músculo esquelético, coração e cérebro e ainda fígado e rins. É produzida principalmente no pâncreas e fígado, mas é através da dieta que conseguimos manter as concentrações normais de taurina para atividade citoprotetiva (proteção das células) ao longo de nossa vida.


Vários estudos apoiam a ideia de que a taurina exerce efeito citoprotetivo e citorregulatório no tratamento de doenças musculares, do sistema nervoso central e sistema cardiovascular. Além disso, a taurina é extremamente eficaz no tratamento da doença mitocondrial, encefalopatia, acidose láctica e episódios semelhantes a AVC (MELAS) e oferece uma nova abordagem para o tratamento de doenças metabólicas, como diabetes e doenças inflamatórias. Esses efeitos estão relacionados a capacidade da taurina em exercer regulação do metabolismo e homeostase do cálcio e como antioxidante (substâncias que regulam a presença de Radicais Livres e evitam níveis elevados de estresse oxidativo), uma vez que o estresse oxidativo desempenha um papel importante em uma ampla gama de doenças humanas bem como na performance física.


Nos últimos anos, nosso grupo de pesquisa e outros grupos afora têm revelado o papel da taurina no controle do estresse oxidativo na performance muscular. Em colaboração com colegas da China, Índia e Reino Unido, publicamos, recentemente, um estudo (Frontiers in Physiology 2021;12:700352. doi: 10.3389/fphys.2021.700352) com o objetivo de verificar a dose-resposta da taurina no desempenho de exercícios aeróbicos e de força (resistência), analisando resultados de pesquisas experimentais publicados anteriormente. Apesar dos estudos ainda apresentarem muitas lacunas e dados inconclusivos, observamos que, em muitos trabalhos sugerem que diferentes doses de taurina - uso oral de 1-6 gramas em dose única ou fracionada em até 3 vezes/dia-, podem aumentar o metabolismo lipídios e a resposta antioxidante muscular e sistêmica, bem como reduzir o dano ao DNA tecidual durante e após o exercício aeróbio, enquanto, doses inferiores a 1 g já são suficientes para melhorar a resposta antioxidante e reduzir a fadiga muscular induzida pelo exercício de força.


É importante salientar que a suplementação de taurina tem recomendação dependendo do seu objetivo e para saber disso, é preciso buscar orientação especializada com um nutricionista ou médico, conforme seu estado de saúde. Em geral a dosagem recomendada para a suplementação de taurina varia em até 6 gramas por dia. Porém, uma alimentação rica em frutos do mar como mariscos, ostras e peixes, carnes de aves, gados e suínos, beterraba, nozes, feijão, são fontes ricas de taurina e que, na maior parte das vezes, satisfazem as demandas diárias.


Por Ricardo A. Pinho, PhD

PPGCS/Escola de Medicina/PUCPR

https://www.bioex.net/

30 views0 comments